quarta-feira, 16 de setembro de 2009

Eu fantasio. Basta acontecer algo, um flerte que seja, que já começo a imaginar meu futuro e as possibilidades ao lado daquela pessoa. Não é ilusão, não mais. Um dia foi. Creio que seja apenas um otimismo, uma válvula de escape indo de encontro às coisas que não me acontecem. Talvez seja minha forma atual de me inserir nos contos de fadas que não mais acredito, mas sempre desejo. Conto de fadas? É. No final é isso que esperamos: um amor arrebatador de contos de fadas. Lógico que não passa pela minha cabeça ser uma princesinha de vestido rosa e cabelos esvoaçantes à espera do Encantado em seu cavalo branco. E se me imagino montado em um cavalo, é desejando um dia apostar uma corrida aos galopes com os amigos... ou o amado. Seja lá como for, ao menos hoje sei que nunca é como a gente imagina. Passado tanto tempo, e tantas fantasias, é bom que não mais me decpciono quando as coisas não saem como o desejado/planejado. Qual (e com quem) será minha próxima fantasia?

Um comentário:

mauro disse...

esperemos juntos a proxima (des)ilusão! elas sempre estarão presentes em nossas vidas. Horas enchendo nossos peitos de satisfação por sermos plenos, horas deixando nossa alma ferida... o que se ha de fazer a não ser espera-la