sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010

Poema do cume

No alto daquele cume plantei uma roseira
O vento no cume bate
A rosa no cume cheira
Quando vem a chuva fina
Salpicos no cume caem
Formigas no cume entram
Abelhas do cume saem
Quando cai a chuva grossa
A água do cume desce
O barro do cume escorre
O mato no cume cresce
Então quando cessa a chuva
No cume volta a alegria
Pois torna a brilhar de novo o sol que no cume ardia

(Autor desconhecido)

2 comentários:

Haroldº disse...

aiiiiiiiiiiiii dels -_- quando axo q ele ta falando d coisa seria vem um "que no cume ardia" adorei ;P

Jessika Thaís disse...

\o/